Menu Conteúdo Rodapé
  1. Início
  2. Notícias
  3. Instituto Politécnico da UKB cria aplicativo para rastreio da covid-19

Instituto Politécnico da UKB cria aplicativo para rastreio da covid-19

  2021-01-13       destaque     UKB

Img:

A Vice-Decana para Área Científica do Instituto Politécnico (IP) da Universidade Katyavala Bwila (UKB), Mestre Elda Paulo, revelou, em entrevista à esta plataforma digital, que aquela instituição de ensino superior (IES) está a desenvolver um aplicativo para rastreio da pandemia da covid-19 ao qual chamam de “Contact Booker”. Para esta empreitada, segundo a responsável, estão envolvidos seis especialistas, entre docentes e ex-estudantes, coordenados pelo Professor Doutor Lazaro Makili.

A busca por soluções tecnológicas para minimizar os efeitos negativos de uma pandemia que tem vindo a assolar as economias do mundo está a mobilizar várias sensibilidades políticas, académicas e não só. É, justamente, a pensar nisso que o Instituto Politécnico da UKB está empenhado na busca de uma solução, criando, deste modo, um aplicativo para rastreio de contactos, no âmbito do combate à pandemia. Assim que o Contact Booker estiver concluído, o projecto vai ser entregue ao Governo, de modo a que, por via diplomática, o mundo tenha conhecimento do projecto.

De acordo com a Mestre Elda Paulo, o projecto, já em fase conclusiva, visa, fundamentalmente, rastrear contactos dos contactos, dispondo, pois, de um protótipo que está a ser testado pela equipa técnica, coordenada pelo Professor Doutor Lazaro Makili, “e é uma aplicação para dispositivos móveis que funciona através de bluethooth”, explica a responsável.

Segundo a Engenheira Elda Paulo, com a referida aplicação, a sua instituição de ensino superior, por intermédio de pesquisas no âmbito do desenvolvimento tecnológico, pretende ajudar as autoridades a rastrear pessoas que tenham mantido contacto com alguém infectado pela covid-19.

Ilustrativamente, Elda explica como as coisas se deverão processar: “por exemplo, eu tenho o Contact Booker e tu também, e temos os dois os bluethooth ligados. Enquanto estamos aqui a manter contacto, as nossas aplicações estão também a conversar. Saindo daqui, imagine que um de nós manifeste sintomas e feito o teste tenha dado positivo. Eu tenho que ir à minha aplicação e notificá-la de que eu testei positivo. Então, feito isso, autorizo que a aplicação faça recolha da chave e isto depois vai para um servidor que estará sob controlo do Ministério da Saúde”, disse.

Feito isso, inicia o processo de rastreio de todos os contactos da pessoa acometida com a pandemia e, desta feita, “a pessoa tem os cuidados a ter em conta”, refere, para quem, a nível mundial, já existe aplicativos deste género, de tal sorte que considere imperiosa ajuda do Governo ao Instituto, por causa da componente diplomática, que permite acessos a ferramentas para desenvolver a aplicação como tal.

“Funciona com protocolos. Uma pessoa particular não deve ter acesso a determinadas plataformas”, disse, dando, igualmente, conta da oferta de uma impressora três dimensões de que o instituto beneficiou, oferta da Fundação Calouste Gulbenkian, tudo a pensar na luta contra a pandemia da covid-19.

Próximos eventos ver todos   agenda

abr 20

Partilhar

Data da última atualização: 2021-01-13
As cookies utilizadas neste sítio web não recolhem informação pessoal que permitam a sua identificação. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.